EGO

"Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes
que aqui caleidoscopicamente registro."

(Clarice Lispector)

quinta-feira, 23 de junho de 2011

mar adentro

Somos dois. Um e um. Sem meios, pedaços, incompletudes. Somos imperfeitos. Desgastados. Cheios de defeitos. Loucos. Ávidos. Corajosos. Somos inteiros. E nos encaixamos alucinadamente em nossas imperfeições. Tudo faz sentido, sentidos. E fazemos barulho, fazemos silêncio, fazemos carinho. Somos deliberadamente cheios de nós mesmos. E já éramos antes do tempo contar, antes de nos sabermos gente, antes mesmo que o mundo desse uma volta completa. E quero, assim, com toda a petulância que cabe em mim, sorrir marés cheias até cansar o tempo. E se o tempo não existe, que o agora se estenda mar adentro, a noção mais bonita de infinito...

Um comentário:

R2MILIOLI disse...

É infinito sim tua maneira de surpreender. Desde as clarezas sinceras até o mar profundo. Parabéns mais uma vez.